Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


deixar brincar

por blogdocaixote, em 27.10.14

Não me lembro de os meus pais brincarem comigo.

Lembro-me vagamente de brincar com "tachinhos", onde fazia sopa de erva e lama, de subir e descer vezes sem conta o descampado em frente à minha casa, que por acaso ia dar ao castelo (quem teve a sorte de crescer com um castelo como cenário levante a mão), com outros miúdos e miúdas, de passar o dia fora de casa e regressar para abastecer, vulgo comer.

Lembro-me de me fechar no quarto e improvisar uma sala de aulas, onde eu era a professora de almofadas e bancos, que se portavam muito mal.

Lembro-me dos jogos de aróquei (um jogo inventado pelo meu irmão mais velho, que nos ocupou as tardes todas durante meses). Fazíamos campeonatos com direito a taça e assim destruímos os rodapés do quarto deles (das canetas bic improvisámos mini sticks, com os quais, sempre de joelhos, tínhamos de meter um berlinde em balizas improvisadas, nas pontas do quarto). Rasgámos calças e joelhos, mas divertimo-nos muito.

 

Este post não é, como parece à primeira vista, um post nostálgico sobre a infância perdida.

É sobre a forma obcecada como nos forçamos a passar tempo com os nossos filhos, em nome do seu crescimento saudável.

Os meus pais nunca, que eu me lembre, brincaram comigo ou com os meus irmãos. Deixaram-nos brincar sozinhos, uns com os outros, com outras crianças e, sobretudo, deram-nos espaço e tempo para brincarmos.

Às vezes, estou a fazer qualquer coisa da minha vida como mulher ou como profissional ou como dona de casa (sim, eu sou isso tudo, não é maravilhoso?) e a minha consciência rebate, lembro-me de algo que tenha lido sobre a importância dos pais nas brincadeiras dos filhos e forço-me a entrar nas brincadeiras delas ou sou eu que sugiro uma brincadeira para as três.

Depois, ganho juízo, lembro-me que cresci bem e saudável e deixo-as brincar sozinhas. Até deixo que batam uma na outra, imaginem!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:04


2 comentários

Sem imagem de perfil

Lis a 28.10.2014

E fizeste muito bem!

Gostei das tuas brincadeiras. Eu e a minha irmã nunca brincámos na rua. Vinham outros miúdos para nossa casa e a minha mãe fazia bolos, para festejarmos o aniversário das bonecas. Hei-de escrever sobre isto.

Imagem de perfil

blogdocaixote a 28.10.2014

Escreve. Gosto muito deste tipo de partilha.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D