Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


Eram duas e pouco da tarde, toda a gente em aulas, inclusivamente eu. O meu telemóvel começa a acusar mensagens de whatsapp, mais do que o normal àquela hora. Discretamente dou uma olhadela. É o grupo da turma da Mr. (tadinha da menina, não tem telemóvel... para estar incluída no grupo deu o número da mãe, tadinha...). São duas e pouco da tarde, toda a gente em aulas e uns quantos caramelos e caramelas, em plena aula, a mandarem mensagens uns aos outros, com direito a fotos e vídeos. Que a aula estava a ser uma seca, que porcaria, que não se faz nada, que bosta e .....

Roí-me toda, mas não fiz nada. Roí-me toda porque a minha vontade era mandá-los parar e guardar os telemóveis. Roí-me toda e não fiz nada porque depois a minha miúda é que ia ser massacrada e sofrer as consequências.

Mais tarde, quando a fui buscar à escola ela contou-me que algus tinham estado, à socapa, numa aula em que a professora circula pelos computadores, a usar os telemóveis para mandarem mensagens uns aos outros. "Eles esqueceram-se de que a tua mãe também vê as mensagens?" "Pelos vistos..."

Na semana seguinte não houve movimentações nenhumas no grupo durante as aulas, mas a miúda contou-me que os mesmos fizeram diretos para o instagram durante a aula...

A vontade que tive de ligar aos pais daqueles miúdos? Ui... do tamanho do kilimanjaro! 

Pais desta vida que dais aos vossos filhos livre uso do telemóveis, verificai depois o que andam eles a fazer com os mesmos, não vão os vossos anjinhos andar a fazer semelhante. 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 14:30


16 comentários

Imagem de perfil

Maribel Maia a 19.02.2019

Infelizmente, parece-me que é prática comum por muitas escolas deste país....
Imagem de perfil

blogdocaixote a 21.02.2019

qual é a tua opinião sobre o assunto? aqui há dias uma mãe dizia que se a escola proibisse telemóveis é que era bom...
Imagem de perfil

Maribel Maia a 21.02.2019

Algumas escolas privadas têm caixas para que se guardem os aparelhos e alguns encarregados de educação não deixam os estudantes levar o telemóvel para a escola... para mim é o que faz sentido, se eles têm ali 'à mão' é impossível controlarem-se, o melhor mesmo era não terem: se ninguém tem estão todos na mesma igualdade!
A desculpa que alguns pais referem de que pode ser preciso ligar é injustificada, sempre que for necessário a própria escola é a primeira a ter esse cuidado de ligar à família!
Neste momento, temos grande parte dos estudantes, nos intervalos, sentados a olhar para um ecrã, em vez de conviverem, brincarem, interagirem....
Imagem de perfil

blogdocaixote a 21.02.2019

Essa "caixa" também já é comum nas públicas. Depois, com algumas turmas mais complicadas há com frequência qualquer coisa que corre mal e há inclusivamente alunos que se recusam a pôr o telemóvel lá dentro, preferindo ir para a rua com falta injustificada. Em casa, de facto, faltam indicações sobre o que é adequado, correto ou incorreto e falta a responsabilização.
Imagem de perfil

Ninita a 20.02.2019

A minha filha tem telemovel e liga-me sempre a hora de almoço. mas uma coisa que sempre a avisei é que nas aulas, o telemovel é para estar desligado. E que se eu algum dia souber que nao está, lhe é retirado na hora.
Imagem de perfil

blogdocaixote a 21.02.2019

Mas vais verificando o que ela faz, isto é, "invades" a sua privacidade para controlar o uso que dá ao telemóvel? Tenho de escrever sobre isto, porque gostava de saber como é que os outros pais fazem.
Imagem de perfil

Ninita a 21.02.2019

Por exemplo, não acho q esteja a invadir a privacidade dela. Posso por exemplo, ligar na hora de uma aula. È o suficiente para perceber se tem ou nao tem o telemovel ligado.
Sem imagem de perfil

Anónimo a 21.02.2019

Um dia a catraia chega-te a casa sem os três e grávida.
Imagem de perfil

blogdocaixote a 21.02.2019

Porquê? qual a lógica por trás desta afirmação grosseira?
Sem imagem de perfil

P. P. a 21.02.2019

Obrigado pelo testemunho.
Fez bem em não interferir junto do grupo/turma ou pais. Caso o (a) DT seja de confiança, se me permite, sugiro que relate o ocorrido. Mas só se for de confiança ou como dizem os meus alunos, "das que não se chibam"
Imagem de perfil

blogdocaixote a 21.02.2019

De nada, P.P.
Neste caso, a DT não seria solução... é das que se "chibam" :)
Eu queria que a professora em questão tomasse conhecimento da situação sem levantar ondas, sem que houvesse a possibilidade de virem a pensar que a denúncia tinha vindo de um dos pares da turma e, acima de tudo, que a professora resolvesse a situação à sua maneira. A mensagem chegou e a professora já lidou com a situação como achou melhor.
Sem imagem de perfil

Anónimo a 21.02.2019

não é na proibição que está a solução, mas na educação. os pais são os primeiros a dar os gadgets aos meninos, às vezes ainda nem dentes tem, coitadinhos para não fazerem birra.
Imagem de perfil

blogdocaixote a 21.02.2019

É muito fácil passá-los para a frente de um écran, todos o fazemos, por uma razão ou por outra, válida nos contextos familiares de cada um, mas é importante tomarmos consciência de que estamos a fazer uso abusivo, que tem mais consequências negativas do que positivas, a médio e longo prazo.
Sem imagem de perfil

Hugo a 21.02.2019

O que fazem com os telemóveis nas aulas é somente a ponta do icebergue. O grande problema está no nível anterior, na educação familiar, quer a nível de valores tão básicos como o respeito, até aos limites que devem ter ou não na utilização de equipamentos tecnológicos.

Mas para que isso aconteça, é preciso algo que os pais, pelas mais diversas razões, se demitiram de fazer: investir tempo - de qualidade - com os filhos.

Para a questão específica deste post, cabe aos pais criarem regras e limites que os filhos possam interiorizar, e replicar noutras situações sociais.

Com os meus filhos, nos momentos familiares - refeições, lazer, visitas - não há telemóveis PARA NINGUÉM! Só assim os elementos da família conseguem interagir uns com os outros, fomentando a aprendizagem e também diversão mútua. Se o tempo familiar for reduzido ao mínimo, não é de estranhar que os filhos procurem escapes e distracções alternativas.

Obviamente, existem tempos livres e de ócio que poderão utilizá-los se assim o quiserem, ou fazer outras actividades. Se em casa compreenderem estes limites, muito mais fácil será copiá-los nas escolas.
Imagem de perfil

blogdocaixote a 21.02.2019

É isso mesmo Hugo.
Não há tempo em algumas casas, porque realmente os pais se matam a trabalhar ou porque temos as prioridades mal definidas. É urgente mudar a forma como vivemos e como concebemos os momentos de ócio e de estar em família.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D