Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

à linha, à linha

por blogdocaixote, em 22.01.19

Antes das férias do natal ganhei coragem estupidez e marquei uma sessão de depilação ou epilação qualquer coisa assim, das sobrancelhas, com linha.

Marquei, precisei de coragem, porque quando marco uma coisa não sou de desmarcar ou não aparecer sem dizer água vai, e evitei pensar no assunto. Bola para a frente.

Quando chegou o dia, fui, porque não sou de desmarcar ou não aparecer sem dizer água vai. Fui, às nove da matina, no meu primeiro dia de férias, o que é só mais uma prova de como sou corajosa estúpida.

Dentro do gabinete da raquel, que é assim um sítio espaçoso e claro, agradável à vista, para a malta não pensar naquilo como é na verdade (um espaço de tortura), a mesa marquesa estava pronta para me receber. Não sei bem porquê, porque já tenho idade para saber que nem tudo o que se faz deitado é bom, especialmente numa marquesa de esteticista, fiquei uns segundos feliz pela decisão de ter marcado aquilo. Foram uns breves segundos, porque depois lembrei-me de que, claro, NADA do que se faz numa marquesa de esteticista é agradável. No entanto, deitei-me, minimamente esperaçosa de que fosse minimamente suportável.

Por breves segundo, porque entretanto a raquel mandou-me pediu-me que repuxasse a testa e a cara ao mesmo tempo e sacou da linha. Portanto, aquilo ia ser assim: não só ia ser torturada, como ainda tinha de colaborar diligentemente no ato de tortura sob pena de ficar sem olhos.

Assim que a raquel sacou da primeira puxada de fios quis morrer, eu, não ela. Ela ficou a apreciar o meu misto de susto, incredulidade e dor avassaladora, o choque. 

E assim foi, durante uma boa meia hora, talvez mesmo quarenta e cinco minutos: susto, incredulidade e dor avassaladora, não necessariamente pela mesma ordem.

Saí, mais linda, apenas sutilmente mais linda porque ninguém deu pela diferença (só o M.), nem mesmo aquela que um dia disse que eu tinha monocelha e a principal responsável por eu ter ido cometer aquela atrocidade conta mim própria, saí, escrevia eu e pensei: nunca mais, pá! nunca mais.

Agora, mais de um mês depois, olho-me ao espelho e vejo os estupidozinhos dos pelinhos a aparecer, espalhados, pintelhadinhos e penso: vais ser corajosa mais uma vez, estúpida! estúpida! e vais marcar outra sessão. Toma que é para aprenderes! 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:11

foi um erro

por blogdocaixote, em 21.01.19

acender a lareira

foi um erro comer tudo o que comi

foi um erro vestir um par de calças suaves e fofas

foi um erro ter calçado as pantufas.

Quem é que agora vai sair de casa para ir mexer o corpo numa sala gelada, cheia de mulheres rezingonas?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:02

A juntar à preguiça

por blogdocaixote, em 27.04.17

jantei sapateira, camarão, leitão, batata frita, mousse de chocolate, bolo de chocolate e Fechei com um cálice de porto. Ámen. Estou bem f@##%#!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:19

Se eu ficar barriguda gostas de mim na mesma?

por blogdocaixote, em 27.04.17

Ando em campeonatos com a preguiça. A cabra tem vencido todos os jogos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:24

é o chamado morrer na praia

por blogdocaixote, em 09.04.17

Já estava planeado haver bicicletas estas férias. O meu irmão arranjou dois suportes e fez-me o favor de trazer uma bicicleta para mim, para além da dele.

Ontem à noite, apresentou-me mais ou menos o percurso: subimos a Santa Cruz, são 8 kms a subir, mas depois o resto é sempre a descer. E podemos parar a cada dois kms na subida.

Torci o nariz. Fazer 8 kms a subir, a subida para a Guarda... não me agradou... mas o man insistiu "faz-se bem, com paragens é fácil, vais ver, depois é sempre a descer..."

Eu devia ter confiado no meu instinto. Ainda não me esqueci daquela vez que fomos de férias para a neve e depois da primeira aula, o homem achou que eu já estava apta para descer a montanha em vez de apanhar os "ovos" para chegar ao hotel. Demorámos cerca de duas horas a fazer um percurso que demoraria uns 10mns de teleférico, mas chegámos.

Dizia eu que não me esqueci dessa viagem, por isso, fui de pé atrás fazer o percurso de hoje.

A subida não foi o que me matou... as pernas aguentaram na boa uma média de 6, 7 kms/h. O que me matou foi a falta de calo numa certa parte do corpo, mais o ombro esquerdo e a dor na cervical, que gradualmente me foram contaminando as costas todas e a cabeça, isso mais a dor numa certa parte do corpo onde me falta calo. Já para não falar do facto de que não era sempre a descer.

A cerca de 4 ou 5 kms de casa, numa reta, imaginei-me a fazer a subida para o Colmeal e comecei a achar que não aguentava mais. Encostei à box e liguei ao marido. Vem-me buscar... tão perto de casa e tão longe. É o que se chama morrer na praia.

Foram quase 40 kms, quase...

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:05

Parece que vou ali subir a serra

por blogdocaixote, em 09.04.17

de bicicleta...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:44

aproveitar bem

por blogdocaixote, em 09.03.17

"Eu vou morrer, eu vou morrer, mas primeiro vou aproveitar bem" cantam os Capitão Fausto. Estes dias de sol e calor dão-nos aquela vontade mais ou menos louca de nos esticarmos numa esplanada com uma mini ou um gin tónico, dependendo da altura do mês e do estado das finanças.

O problema é que começamos também a olhar para o corpo que transportamos e que passou o inverno tapado por mantas e casacos. Apertamos as pernas e salta à vista a cabra da pele de laranja, olhamo-nos de perfil ao espelho e vemos a filha da mãe de uma barriguita que não estava ali em setembro do ano anterior... e começamos a pensar que a idade está a fazer das suas, aquela coisa de ser mais difícil perder peso, de as gordurinhas se instalarem insidiosamente sem nos darmos conta... e tentamos enterrar a vontade de nos perdermos num copo de gin, acompanhado de amendoins salgados.

Puta que pariu a idade. Aproveitamos bem ou temos cuidado com o corpo?

Eu sei de fonte segura que há gente que me conhece pessoalmente que está agora a gritar a plenos pulmões ou só interiormente "BARDAMERDA PARA TI, GABRIELA!!!, SUA CABRA, ESTE POST É GOZAR COMIGO" mas independentemente da imagem que os outros têm de nós, se não nos sentimos bem com o nosso corpo essa cena de "aproveitar bem" fica um bocado comprometida.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:03

riviu: uma espécie de iogurte

por blogdocaixote, em 16.02.17

Andei feita doida (não andei nada, mas o dramatismo confere outra aura ao texto) à procura disto no Lidl.

IMG_20170216_103218.jpg

Não especificamente o de morango, os de fruta. Já tinha provado os naturais e queria dar uma oportunidade aos outros, mas de cada vez que chegava à loja já não havia nenhum. A minha teoria é que os funcionários ficam logo com eles.

Hoje encontrei (os funcionários já os devem ter provado todos e não querem mais). Comprei. É uma merda, uma merda! O sabor é horroroso, parece um iogurte fatela e a textura é má, uma pasta avermelhada e um creme de morango com aspeto doente nos cuidados paliativos à espera do último suspiro. É um mau iogurte que ainda por cima não cumpre o que promete: encher o bandulho. Estou na mesma com vontade de comer o pão todo que há em casa.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:33

Sexta

por blogdocaixote, em 10.02.17

Dói-me tudo. Rais partam o Fit.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:06

brave

por blogdocaixote, em 04.02.17

Ontem fui ao ginásio. Queria compensar uma semana má, estava cheia de pica, esqueci-me de comer decentemente durante a tarde. 

Entre walking ou crawling bears ou lá o que é, walking lounges, saltos à corda e o camandro comecei a ver tudo a andar à roda e o meu coração disparado. 

Mandaram-me deitar e pôr as pernas para cima. Assim fiz. Entretanto, as tonturas continuavam, o coração batia tanto que achei que ia sair do peito. 

Comecei a pensar que ia morrer, entrei em modo de ataque de ansiedade. À minha volta perguntavam-me se seria melhor chamar os bombeiros, que ficam logo ao lado, mas eu recusei. Só queria controlar a ansiedade de sentir o coração prestes a explodir e pensar que ia morrer. Consegui. Uns dez minutos depois levantei-me e devagarinho alonguei. Vim embora.

Hoje fui ao ginásio outra vez (tenho de compensar a semana má) e assumo que ia com medo. Começar a relacionar exercício físico e ansiedade decorrente do aumento do ritmo cardíaco é a última coisa que quero. 

Correu bem. E escrevo porque quero deixar registado que hoje acho que devo ser uma gaja com eles no sítio. Só quem nunca teve um ataque de ansiedade sabe a vitória que é controlar. 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:46


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D